www.guajarahoje.com.br
Trabalhadores em educação avaliam omissão do governo do Estado e podem discutir proposta de greve em assembléia Reviewed by Momizat on . Os trabalhadores em educação de todo o Estado se reunirão na próxima semana em assembleias convocadas pelo Sintero tendo como pauta principal a inércia e a omis Os trabalhadores em educação de todo o Estado se reunirão na próxima semana em assembleias convocadas pelo Sintero tendo como pauta principal a inércia e a omis Rating: 0
Você está aqui:Home » Notícias » Trabalhadores em educação avaliam omissão do governo do Estado e podem discutir proposta de greve em assembléia

Trabalhadores em educação avaliam omissão do governo do Estado e podem discutir proposta de greve em assembléia

12579Os trabalhadores em educação de todo o Estado se reunirão na próxima semana em assembleias convocadas pelo Sintero tendo como pauta principal a inércia e a omissão do governo do Estado quanto às negociações visando ao atendimento da pauta de reivindicações de 2015.

A pauta foi aprovada em assembleia da categoria em dezembro de 2014 e imediatamente encaminhada à Seduc e ao Gabinete do governador Confúcio Moura. No entanto, até o momento não houve uma resposta quanto ao reajuste salarial e aos demais itens financeiros.

Os trabalhadores em educação estão revoltados com o governo do Estado pelo não cumprimento do reajuste de 6% em janeiro de 2015, conforme compromisso firmado com a categoria ainda durante a greve de 2013. O governo não cumpriu esse compromisso e não fala sobre o assunto.

Durante as assembleias, que serão realizadas em todo o Estado, a direção do Sintero fará uma explanação à categoria sobre as últimas reuniões com a Seduc e sobre a resistência do governador Confúcio Moura em receber os representantes dos trabalhadores em educação para discutir o atendimento das reivindicações.

Durante as visitas às escolas e nos contatos diretos com os trabalhadores em educação, os diretores do Sintero têm registrado uma grande insatisfação da base com a falta de compromisso do governo. Em muitas escolas já se verifica a disposição dos profissionais da educação para uma greve. Entretanto, segundo o presidente do Sintero, Manoel Rodrigues da Silva, qualquer decisão será resultado de deliberação pela categoria em assembleia.

Fonte: Tudorondonia.

Sobre o autor

Número de entradas : 3478

Deixe um comentário

Todos os direitos reservados a GuajaraHoje

Voltar para o topo