www.guajarahoje.com.br
Greve dos servidores da educação chega ao sexto dia em Guajará Reviewed by Momizat on . [caption id="attachment_9949" align="aligncenter" width="620"] Na manhã desta segunda-feira, 29, poucos grevistas estavam no Sintero (Foto: Júnior Freitas/G1)[/ [caption id="attachment_9949" align="aligncenter" width="620"] Na manhã desta segunda-feira, 29, poucos grevistas estavam no Sintero (Foto: Júnior Freitas/G1)[/ Rating: 0
Você está aqui:Home » Notícias » Greve dos servidores da educação chega ao sexto dia em Guajará

Greve dos servidores da educação chega ao sexto dia em Guajará

img_7873

Na manhã desta segunda-feira, 29, poucos grevistas estavam no Sintero (Foto: Júnior Freitas/G1)

A greve dos servidores municipais da educação chegou ao sexto dia em Guajará-Mirim (RO), município situado a cerca de 330 quilômetros de Porto Velho. Cerca de 4,5 mil alunos estão sem aula no município. Segundo a diretora regional do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Rondônia (Sintero), Marileth Soares, a paralisação iniciou no último dia 16, mas somente na terça-feira (23), o restante da categoria se juntou ao movimento. Uma reunião para discutir propostas deve ser realizada no Sintero, na tarde desta segunda-feira (29).

As reivindicações dos grevistas não teriam sido atendidas. Os servidores querem o pagamento do sexto de férias, calendário com as datas dos próximos pagamentos, aumento de 5% no repasse à educação e ainda o retorno imediato da ex-secretária de educação, Maria Tereza Crespo Ribeiro, que foi exonerada pelo prefeito na segunda-feira (22).

Ao G1, Marileth disse que uma reunião deve ser realizada no Sintero, na tarde desta segunda. O encontro deve contar com os vereadores e o presidente da Câmara Municipal, além do prefeito Dúlcio Mendes. O objetivo é discutir propostas e tentar chegar a um acordo para que os profissionais possam voltar às escolas. 

“Ainda não tivemos nada de concreto, mas os vereadores já fizeram um requerimento com a aprovação do repasse de mais 5% à educação. O próximo passo é fazer um projeto de lei, para que seja votado, aprovado na Câmara e posteriormente sancionado pelo prefeito. Queremos essa garantia”, declarou Marileth.

De acordo com a mãe de dois alunos de sete e nove anos, que prefere não se identificar, os filhos estão sendo prejudicados no início do ano letivo. “Não quero saber de promessas, tudo que a gente quer é o retorno das aulas. Enquanto isso não for resolvido, nós é que estamos pagando o pato, sinceramente nem sei mais o que dizer”, desabafou a mulher.

Alguns funcionários voltaram aos trabalhos normalmente, mas a greve não tem previsão de encerramento. Na manhã desta segunda-feira (29), poucos servidores estavam no Sintero.

Fonte: Estação News.

Sobre o autor

Número de entradas : 3569

Deixe um comentário

Todos os direitos reservados a GuajaraHoje

Voltar para o topo